15 de janeiro de 2010

Não tenho rótulo.

Hoje passei pelo G. umas quantas vezes.
Estava com o sangue a bombear com tal força que me tremiam as pernas ao andar. Fingi não o ter visto, mas quando acabou de passar, olhei para trás. Ele não. Segui com o resto do pessoal, mas não me saiu mais da cabeça. Dá-me uma vontade maluca de sentir o telemóvel a vibrar no bolso das calças, sendo o sinal de mais uma das suas mensagens. Cada vez que vibrava, nunca eras ele. E sei que se receber é só depois da meia noite, às sextas e aos sábados, mas enfim, sou a chamada "crente". Não o amo. Nunca tive dúvidas nem nunca que questionei sobre isso. Mas aquele corpo, a maneira que me beija, aquele jeito... Tiam-me do sério.

O R. nunca mais me disse nada nem eu a ele. Já estava à espera, aliás, nunca sou eu que começo a conversa, mas já sei que ele só fala comigo quando pode. Mas, sendo muito sincera, já não ha aquela pica, aquela vontade... Falo por mim. Ele chegou a dizer-me isso umas quantas vezes, mas veio sempre ter comigo e sempre quis estar comigo. Já he cheguei a dizer que se não quer mais, afastamo-nos. Ele parece casca dura, mas ao minimo toque, desfaz-se. Nunca se quis afastar. Eu já. E evito ao máximo falar/estar com ele. não quero mais problemas, já me meti demais onde não devia, o melhor é afastar-me e irmos falando (muito) de vez em quando, porque pode não parecer devido ao seu feitio, mas ele é um bom amigo e dá vontade de conversar (quando não lhe salta a tampa).

Estive com o B. ontem. Como fez anos à pouco tempo, está com a carteira cheia e o papo inchado. Já o conheço à mais de dois anos, estou com ele (practicamente) todos os dias, é-me transparente a sua maneira de ser. Mudou tanto ao longo do tempo. Teve as suas fases malucas (eu também tive e sinceramente, foi a quando as dele), mas agora está numa de se sentir o rei à frente de toda a gente... Inclusive comigo. Se há coisa que detesto, é isso. Aquela postura arrogante de "eu é que sei", mata-me. Mas um pequenino e simples "amo-te" dele ao fim da noite, parece que compensa todo armanço da tarde inteira. Já o quis tanto, já o quis ver pelas costas, já estive neutra, já estive insuportável, já estive no meu auge. Acho que é normal para quem namora, tanto para mim, como para ele.

2 comentários:

Bernardo Lupi disse...

Parece que andas meio confusa! :)

Gostei de apanhar este blogue já de início.

El Solitario disse...

acho que me perdi no meio do ABC,,,
mas tb não interessa,,,
eu levo a "black" e tu trazes a tua companhia,,,
; )

black kiss